descricao

Oi, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa apresentam o espetáculo “Sem Palavras”, com a companhia brasileira de teatro

 

Público poderá ter acesso a uma série de atividades online e presenciais, como debates e o processo da criação da nova obra da companhia
 

Link com mais fotos AQUI

 

O Oi Futuro, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa apresentam, a partir do dia 25 de julho, às 19h, detalhes do processo criativo do espetáculo “Sem Palavras”, através de vídeo transmissão ao vivo, no Teatro Oi Futuro. Também será exibido debate provocado pela professora, transativista e escritora Helena Vieira; documentário sobre a pesquisa, o processo criativo e finalização da obra. Uma vídeo-instalação feita com os artistas, criadores, atores e atrizes do espetáculo, a partir da dramaturgia da obra, ficará disponível para visitação gratuita, de 28de julho a 29 de agosto, no térreo do Centro Cultural Oi Futuro Flamengo. Os vídeos e documentários serão disponibilizados pelo canal do Youtube da Companhia Brasileira de Teatro.

A visitação segue todos os protocolos de segurança sanitária previstos pelos órgãos responsáveis e deve ser agendada por meio do site https://oifuturo.org.br/agendamentocentrocultural/ ou por telefone 21 3131-3060. A entrada é gratuita.

“Sem Palavras” flagra os deslocamentos e travessias que ocorrem durante um dia ao redor de um apartamento. Oito pessoas de diferentes corpos, imagens sociais, referências, histórias de vida e mundos imaginados passam por ali e são a base para reflexões sobre a palavra e também sua ausência, já que o espetáculo aposta em visualidades que comunicam ao público sem uso da linguagem textual.

A atual montagem, junto com PROJETO bRASIL e Preto, compõe uma espécie de trilogia para refletir territórios em que palavra e corpo são elementos indissociáveis. A peça, composta por pesquisas que passam pela performance, teatro, dança e visualidades diversas, tem direção e texto assinados por Marcio Abreu, que também divide a dramaturgia com Nadja Naira. A ficção é livremente inspirada no livro Um apartamento em Urano: crônicas da travessia, do filósofo espanhol transgênero Paul B. Preciado e nos escritos da autora, jornalista e ativista brasileira Eliane Brum.

"Fica evidente que a história do Brasil é criada também pelas palavras que não foram ditas ou que não são escutadas. A língua é um lugar que se habita, a linguagem é um território de existência. Entender um Brasil como um país formado por muitas histórias que não foram contadas mostra como reivindicar a palavra é algo urgente", diz Marcio Abreu. Para ele, um dos maiores desafios impostos pela peça foi contextualizá-la neste lugar em que as cenas faladas e as sem palavras tivessem impacto e uma pesquisa dramatúrgica ampla. "Fazer essa separação de texto e dramaturgia foi muito importante no nosso processo. Trata-se de uma escolha ética, estética e política", completa.

Como Marcio define, a adaptação parte de um lugar do sensível, e não de uma correspondência literal. Não há as palavras usadas por Preciado na peça, mas sim um diálogo permanente de criação, o que se encontra também com o trabalho de outros pensadores e ativistas a exemplo de Eliane Brum, referenciada como uma das inspirações para a criação dos textos que compõem a peça.

"Essas pessoas que se colocam no mundo como faróis influenciaram nosso trabalho. A discussão sobre linguagem é importante porque ela nos foi tomada de assalto e agora é usada como parte de um plano de extermínio. Como recuperar a língua com um território que também é meu?", questiona o diretor.

 

SINOPSE

Num apartamento mais ou menos vazio, posto à venda, na duração de um dia, uma sequência de possibilidades de encontros. Um corpo de mulher está em trânsito. Outras sete personagens também em deslocamento e em transição passam por esse apartamento. Podemos ver oito pessoas com seus diferentes corpos, imagens sociais, referências, histórias de vida, mundos imaginados. Elas podem ser uma só. Elas podem ser muitas outras. Elas podem ser aspectos do imaginário de alguém. Esse alguém é ela, em trânsito. Uma pessoa e uma multidão.

 

FICHA TÉCNICA

Sem Palavras

Direção e Texto: Marcio Abreu
Dramaturgia: Marcio Abreu e Nadja Naira

Elenco: Fábio Osório Monteiro, Giovana Soar, Kauê Persona, Kenia Dias, Key Sawao, Rafael Bacelar, Viní Ventania Xtravaganza e Vitória Jovem Xtravaganza

Direção de produção e administração: José Maria e Cássia Damasceno
Iluminação e assistência de direção: Nadja Naira
Direção Musical e Trilha Sonora Original: Felipe Storino
Direção de Movimento: Kenia Dias
Cenografia: Marcelo Alvarenga | Play Arquitetura
Figurinos: Luiz Cláudio Silva| Apartamento 03
Vídeos: Batman Zavareze
Captação e edição dos vídeos: João Oliveira
Fotos: Nana Moraes
Programação visual: Pablito Kucarz
Colaboração artística: Cássia Damasceno, Grace Passô, José Maria e Rodrigo Bolzan
Técnico de Palco e vídeo: Ricardo Barbosa
Técnico de som: Chico Santarosa
Distribuição Internacional: PLAN B – Creative Agency for Performing Arts

Coordenação de Produção RJ: Miriam Juvino
Produção Executiva RJ: Miriam Juvino e Valéria Luna
Assistente de produção RJ: Ananias de Caldas
Administração financeira RJ: Valéria Luna
Assessoria jurídica e contábil: COARTE | Lilian Santiago e Francisco Gomes

Uma produção da companhia brasileira de teatro
Em co-produção com Künstlerhaus Mousonturm Frankfurt am Main/GE, Théâtre Dijon Bourgogne – Centre Dramatique National/FR, A Gente Se Fala Produções Artísticas – Rio de Janeiro/BR
Apoio: Passages Transfestival Metz/FR.
Correalização: Centro Cultural Oi Futuro

Projeto realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e Secretaria de Cultura.
Patrocínio: Oi, Governo do Estado do Rio de janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa

 

SERVIÇO

•           Vídeo transmissão com detalhes do processo criativo do espetáculo Sem Palavras

25 de julho, domingo, 19h + Debate com Helena Vieira ao término da sessão. Onde: Youtube da Companhia Brasileira de Teatro.
 

•           Vídeo-instalação  - De 28 de julho a 29 de agosto

Local: Centro Cultural Oi Futuro Flamengo (R. Dois de Dezembro, 63 - Flamengo, Rio de Janeiro)
Telefone: (21) 3131-3060
Horário de exibição ao público, de quarta a domingo, incluindo feriados: primeira sessão: 12h às 13h30, segunda sessão: 14h às 15h30 e terceira sessão: 16h às 18h. 
Entrada Gratuita mediante agendamento no site. 
Contamos com capacidade de 30 pessoas por sessão. 

Agendamento disponível no site https://oifuturo.org.br/agendamentocentrocultural
 

          Documentário sobre a pesquisa, processo criativo e finalização da obra

* mais informações em breve

 

Informações para imprensa:
Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Márcia Marques | 11 9 9126 0425 – marcia@canalaberto.com.br
Daniele Valério | 11 9 8435 6614 – daniele@canalaberto.com.br
Diogo Locci | 11 9 9906 0642 - diogo@canalaberto.com.br

Compartilhar :