descricao

1º Fórum de Performance Negra de São Paulo

O evento, em sua primeira edição em âmbito estadual, tem como tema “Estéticas Negras e Políticas Públicas rumo ao futuro: como a memória da diáspora e as intersecções culturais podem alimentar as multipluralidades performáticas negras”

 

De 15 a 19 de novembro de 2019 acontece na capital paulista o I Fórum de Performance Negra de São Paulo. O evento que tem como tema “Estéticas Negras e Políticas Públicas rumo ao futuro: como a memória da diáspora e as intersecções culturais podem alimentar as multipluralidades performáticas negras”, tem a proposta de reunir grupos e coletivos negros artísticos, para pensar, dialogar e fomentar os trabalhos e pesquisas da arte negra no estado de São Paulo.

A programação acontece no Centro Cultural Olido e no CRD - Centro de Referência da Dança, com entrada franca em todas as atividades. Para participar do fórum, é necessário fazer a inscrição até o dia 10 de novembro pelo link https://forms.gle/LuE5kgfXK1eYfrKT9. São nove mesas de debates, seis grupos de trabalhos e apresentações de performances e espetáculos de teatro, dança, circo e cultura popular. A abertura no dia 15 de novembro conta com show de As Clarianas, com participação da Nega Duda e o encerramento, dia 19, tem show do grupo Aláfia.

O Fórum Paulista é a continuidade do Fórum Nacional de Performance Negra, criado em 2005 pelo Bando de Teatro Olodum, da Bahia, e pela Cia. dos Comuns, do Rio de Janeiro. Foram quatro edições nacionais em Salvador, que promoveram reflexões estéticas e importantes conquistas no âmbito das políticas públicas, fomentando boa parte da produção performática negra em todo o Brasil.

Nesta edição, o Fórum é organizado e tem curadoria dos grupos e coletivos Invasores Cia. Experimental de Teatro Negro, Cia Os Crespos, Coletivo Negro e Cia Um Brasil de Teatro, representados pela Cooperativa Paulista de Teatro. Com co-realização da Secretaria Municipal de Cultura, o evento pretende fomentar um diálogo em escala estadual sobre a importância da criação e manutenção de políticas públicas para as artes negras e suas especificidades estéticas.

Estarão presentes pensadores como: Leda Maria Martins, Salloma Salomão, Julio Moracen Naranjo, Gil Marçal, Samuel Alves dos Santos, Rute Rodrigues dos Reis, dentre outros nomes. Artistas como Banda Aláfia, As Clarianas, Michelle Mattiuzzi, Preta Rara, Lenna Bahule, Gal Martins, Isidro Sanene, Cia dos Inventivos, Bando Jaçanã, Jongo do Tamandaré, Balé Folclórico Solano Trindade, Beth Beli, Dinho Nascimento, dentre outros nomes, também compõem a programação do I Fórum de Performance Negra de São Paulo.

Curadoria
Para os coletivos e grupos negros que seguem na linha de frente desta primeira edição, os últimos anos se mostraram férteis, devido às conquistas de políticas públicas que possibilitaram o desenvolvimento de produções e pesquisas para alguns grupos negros.

Neste sentido, foi pensada uma programação representativa dos inúmeros caminhos que artistas e pensadores negros vem trilhando. A ideia é que neste encontro todos possam apreender e compartilhar suas experiências, numa troca coletiva e semeadora de possibilidades de resistência e existência no Brasil de hoje.

Entende-se que o Fórum é um importante instrumento para a organização de um fazer artístico e político, apoiado em ideais democráticos na luta por reconhecimento, reparação histórica e equidade.

Neste encontro, a arte, cultura, política e teoria das artes negras não fogem da responsabilidade de refletir o seu tempo e carregam a experiência da criação coletiva e colaborativa dos muitos artistas negros que vieram antes e que caminham ao lado e à frente desta geração.      
 

Programação

I FÓRUM DE PERFORMANCE NEGRA DE SÃO PAULO
 

SEXTA-FEIRA (15/11) | CENTRO CULTURAL OLIDO

  • 9h às 12h | SALA PAISSANDU - Recepção dos participantes inscritos
  • 14h às 17h | SALA PAISSANDU

Mesa - Abertura

Cenas Negras em Risco - com representantes de instituições culturais e órgãos públicos

Uma discussão sobre o panorama das artes negras no Brasil e no Estado de São Paulo. Quais as medidas e financiamentos públicos para as artes negras, quais os retrocessos, avanços e perspectivas nesta área? Pensando em performances negras, como os diferentes órgãos responsáveis pela cultura, bem como órgãos com incidência nas políticas para negritude atendem às necessidades de reparação histórica para com o povo negro e elaboram medidas para enfrentar o desafio de garantir os direitos de difusão dos trabalhos e continuidade dos grupos culturais negros?

Convidadxs
Hilton Cobra
- da Cia dos Comuns - ator e diretor de teatro, ex-presidente da Fundação Cultural Palmares
Professora Elisa Lucas - Secretaria Municipal de Direitos Humanos
Daniel Pereira Souza - Centro de Culturas Negras Jabaquara
Ivan Lima - Representante do conselho de participação e desenvolvimento da comunidade negra e indígena do estado de São Paulo

  • 17h30 às 18h30 | SALA PAISSANDU

    Show musical de As Clarianas com participação Nega Duda (foto)

 

SÁBADO (16/11) | CENTRO CULTURAL OLIDO

  • 9h às 11h30 | SALA PAISSANDU

    Eixo 1 - Políticas Públicas e Mercado de Trabalho

Mesa 2 - Editais, estruturas de políticas públicas, novos financiamentos e estratégias econômicas

Cada convidado deve elaborar, a partir de sua experiência, uma fala acerca das estruturas de financiamento para as artes negras, elaborando um ponto de vista sobre o processo histórico nos últimos quinze anos, na esfera pública ou privada, neste segmento. Apontando aspectos positivos e pontos problemáticos do processo, trazer à tona as atuais perspectivas e novas estratégias de sobrevivência.

Convidadxs
Gil Marçal
- Gestor de projetos culturais
Selma Moreira - Diretora Executiva do Fundo Baobá
Mediação: Gerson Rodrigues - Mestre em Artes e Pedagogia e ex-coordenador do Centro de Culturas Negra Mãe Sylvia de Olxalá

  • 13h às 15h30 | SALA PAISSANDU

Mesa 3 - Condições de trabalho dxs artistas negrxs e a saúde do trabalhador

Pensar em como as relações de trabalho também são mediadas pelo racismo estrutural e institucional. Os participantes desta mesa elaborarão suas falas tendo em vista as condições de trabalho dxs artistas negrxs e a relação destas condições com a saúde dos trabalhadores desta categoria. Além de fazer uma análise sobre os direitos constitucionais dos artistas, sua efetiva aplicação por parte do Estado e o quanto estes fatores oneram o artista negrx.

Convidadxs
Samuel Alves dos Santos
– Mestre em educação especializado em gestão da rede pública.
Rute Rodrigues dos Reis – Doutora em Ciências Sociais pela PUC de São Paulo   
Mediação: Clélia Prestes - Doutora em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo

  • 16 às 18h | SALA AZUL E VERDE

Grupos de Trabalho

  • 18h às 20h | VITRINE DA DANÇA + CALÇADÃO DOM JOSÉ

Intervenção de dança + Performance + Espetáculo de Dança

18h - Espetáculo “Filhxs -- da -- Pº##@! - T O D A” - (fragmentos) - Coletivo Calcâneos

18h30 - Espetáculo “Depoimentos para Fissurar a Pele” - Djalma Moura

19h15 - “Sons D' Oeste" (Intervenção) - Trupe Benkady (foto)

20h - Performance com Michelle Mattiuzzi

 

DOMINGO (17/11) | CENTRO CULTURAL OLIDO

  • 9h às 11h30 | SALA PAISSANDU

    Eixo 2 - Inscrição Histórica - Contextos, produção e possíveis pontes com uma diáspora contemporânea

Mesa 4 - Arte Negra em São Paulo - conquistas, retrocessos e pontes com artistas diaspóricos

Esta mesa propõe um olhar sobre a arte negra feita em São Paulo, com ênfase na presença de artistas afro diaspóricos. Cada convidado deverá elaborar sua fala de modo a evidenciar a sua experiência enquanto artista de origem africana, sua percepção do contexto da arte negra na cidade São Paulo, as efetivas pontes que tem sido feitas com a cultura de seus países de origem e quais as perspectivas que se abrem para intercâmbios com os artistas negros brasileiros.

Convidadxs
Isidro Sanene
- Pintor, escritor e produtor cultural angolano
Licínio Januário – Ator angolano, cineasta, escritor e instrutor de capoeira
Lenna Bahule – Cantora moçambicana
Mediação: Raphael Garcia – Ator e pesquisador de teatro negro

  • 13h00 às 15h30 | SALA PAISSANDU

Mesa 5 - Advento dos grupos - Uma inflexão histórica na cena paulista: criação colaborativa e organização coletiva

Discussão acerca do renascimento da cena negra em São Paulo nos últimos quinze anos. Uma análise do contexto histórico que produziu esta ebulição e o impacto das produções de arte negra na cena cultural e na sociedade.  Um olhar para a criação colaborativa e organização coletiva como modo de criação e sua relação com o contexto cultural do Estado.

Convidadxs
Gal Martins
- Artista da dança, atriz e gestora cultural
Salloma Salomão – músico e pesquisador de História da África, América e Diáspora Negra
Mediação:  Lucélia Sergio – atriz, diretora teatral, professora de artes cênicas e pesquisadora de teatro negro

  • 16h às 20h | SALA PAISSANDU

    16h - “Um Canto para Carolina” - Cia dos Inventivos

18h - “Alto do Negrinho” (fragmentos) - Teatro do Terreiro Encantado

18h30 - “Oniri Ubuntu Tempo De Sonho” - Bando Jaçanã

19h30 - Prot{AGÔ}nistas (fragmentos) (Foto – Mariana Ser)

 

SEGUNDA - FEIRA (18/11) | CRD - CENTRO DE REFERÊNCIA DA DANÇA

  • 9h às 11h - Grupos de Trabalhos
  • 11h às 12h30 - Caminhada Histórica com Abílio Ferreira
  • 14h às 16h - Apresentações artísticas

    Grupo Cambaiá

Jongo de Tamandaré com a participação de Mestre Totonho

Umojá

Balé Folclórico Solano Trindade

  • 16h30 às 18h30

Eixo 3 - Estéticas - Olhares para a Arte Negra

Mesa 6 - Performance Negra na Web

Como tem se dado a elaboração de uma perspectiva crítica para as artes negras, a partir de quais pressupostos artísticos podem ser dimensionados olhares sobre as materialidades produzidas, que levem em consideração aspectos da militância, mas também os paradigmas estéticos das artes negras.

Convidadxs
Jairo Pereira
- ator, escritor, poeta, diretor, videomaker e youtuber
Preta Rara - rapper, professora, modelo plus size, militante e poetisa
Hélio Menezes - curador e pesquisador de arte
Mediação: Marco Antônio Fera – ator, Idealizador do Canal Pretinho Mais Que Básico.

  • 19h às 21h 

Mesa 7 - Crítica e Estética - construções sobre identidade artística

A partir de suas próprias experiências e de um olhar para o fenômeno das mídias digitais, cada convidado vai compartilhar com o público sua perspectiva sobre o papel da web na elaboração de olhares e produção de performances negras, e de como cada um deles elabora seus materiais, sua relação com o público e a disseminação de ideias.

Convidadas
Luciane Ramos Silva
- Bailarina e antropóloga
Leda Maria Martins - Poeta, ensaísta e dramaturga
Mediação: Paloma Franca Amorin – Cronista e crítica teatral

 

TERÇA-FEIRA (19/11) | CENTRO CULTURAL OLIDO

  • 9h às 11h30 | SALA PAISSANDU

    Eixo 4 - Formação e Institucionalidades

Mesa 8 - Artistas negrxs e a academia

As tensões existentes entre a produção de conhecimento de artistas negrxs e o ambiente acadêmico. Esta mesa pretende olhar para esta problemática de modo a abordar também as conquistas que tivemos neste contexto, levando em consideração a cena negra que se consolidou nos últimos anos. Entre avanços e retrocessos, pensar em quais caminhos ainda podem ser trilhados e como esta produção acadêmica pode alimentar o trabalho dos artistas.

Convidadxs

Juarez Tadeu - Coordenador executivo do Núcleo Negro UNESP para a Pesquisa e Extensão
Inaicyra Falcão dos Santos - Cantora lírica, professora doutora e pesquisadora das tradições africano-brasileiras
Julio Moracen Naranjo - Diretor teatral, dramaturgo, ator, poeta e antropólogo
Mediação: Deise de Brito - Atriz, dançarina, educadora e doutoranda em artes pela (UNESP)

  • 13h às 15h30 | SALA PAISSANDU

Mesa 9 - Saberes e experiências dxs artista negrxs - Campos de atuação e legitimidades

Uma perspectiva das artes negras que elabore os saberes construídos para além das escolas de arte. Como pensar estas manifestações em perspectiva mais ampla, levando em consideração os saberes dos mestres e a construção e produção estética negra secular que se elabora nas manifestações populares e outras formas de construção de saber, além de pensar em como estas manifestações são vistas por outros movimentos culturais.

Convidadxs
Beth Beli
- Presidente, diretora artística, regente e uma das criadoras do bloco e instituição Ilú Obá De Min
Dinho Nascimento – Percussionista, compositor e cantor baiano
Mediação: Pedro Neto – Cientista social, Integrante do Núcleo de Estudos Relações Raciais, Memória, Identidade e Imaginário PUC São Paulo

 

  • 18h às 20h | SALA OLIDO
    Show – Aláfia (foto) e JAM criada pelos artistas participantes do Fórum

 

Endereços:
Centro Cultural Olido

Av. São João, 473 - Centro Histórico de São Paulo/ SP – Tel.: (11) 2899-7370

Centro de Referência da Dança – CRD
Galeria Formosa - Baixos do Viaduto do Chá, s/n - Centro Histórico de São Paulo, São Paulo, SP – Tel.: (11) 3214-3249

 

Informações para a imprensa

Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques | marcia@canalaberto.com.br
Fones: 11 2914 0770 | 11 9 9126 0425
Kelly Santos |
kelly@canalaberto.com.br | Fone: 11 9 5630-3505
Daniele Valério
|daniele@canalaberto.com.br | Fone: 11 9 8435 6614

 

Compartilhar :