descricao

Integrantes do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos fazem oficinas on-line para aprimorar a linguagem poética

 

Em duas sessões semanais, Claudia Schapira, Eugênio Lima, Luaa Gabanini e Roberta Estrela D’Alva amplificam o ensino do teatro hip-hop, promovendo a história e as técnicas de corpo, voz, atuação e música; ação faz parte das comemorações pelos 20 anos do coletivo.

 

O Núcleo Bartolomeu de Depoimentos completa 20 anos de criação e de atuação continuada com a construção da linguagem do teatro hip-hop e ganha comemoração com diversas atividades programadas ao longo de 2021 e 2022. Essas duas décadas de intenso trabalho originaram não só uma cartografia que mescla linguagem e trajetória do grupo, mas também reflexões e um importante olhar para o futuro na formação de novos imaginários.

Entre 24 de junho e 16 de julho serão realizadas quatro oficinas on-line, via plataforma Zoom, às quintas e sextas-feiras, às 14h, com os integrantes fundadores do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Os elementos da linguagem estarão no foco, para mostrar como eles contracenam e produzem juntos uma metodologia de trabalho.

As oficinas são gratuitas, mediante inscrição prévia por meio de formulário, abertas a todos os interessados em aprimorar a criação de uma linguagem poética. As vagas são limitadas.

Abrindo a programação, nos dias 24 e 25 de junho, Luaa Gabanini ministra “Corpo Poético”. Os participantes terão uma vivência do corpo como matéria cênico-poética, utilizando como base os princípios do movimento cotidiano, explorando as possibilidades de expressão do corpo.

Eugênio Lima está à frente de “Disco Aula”, que acontece nos dias 1º e 2 de julho. Uma história da Discotecagem-Música,dos Beats e das Festas, mixando com acontecimentos sociais, culturais e políticos das épocas.

Na semana seguinte, dias 8 e 9 de julho, acontece “Zona Autônoma da Palavra”, com Roberta Estrela D’Alva, em que algumas vertentes da poesia falada contemporânea são abordadas. Também serão realizados alguns exercícios práticos a partir da voz, respiração, dicção, a relação do texto escrito com a fala, a postura cênica do corpo.

Fechando a programação, dias 15 e 16 de julho, é a vez de “Criação Dramatúrgica”, com Claudia Schapira. A oficina propõe referenciar alguns procedimentos da criação textual, tendo como ponto de partida o depoimento pessoal e outros elementos narrativos  da linguagem teatro hip-hop.

Parte da programação comemorativa foi contemplada pela 36ª Edição do Programa Municipal do Fomento ao Teatro, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Parte das comemorações também é contemplada também pela Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/2020), através do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

Nesses 20 anos, o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos tem uma trajetória intrinsecamente ligada à cidade de São Paulo, com a construção de sua linguagem – o teatro hip-hop. formado por Claudia Schapira, Eugênio Lima, Luaa Gabanini e Roberta Estrela D’Alva, o coletivo já levou ao palco 14 peças, é responsável pelo  SLAM SP (Campeonato paulista de poesia falada) e SLAM BR (Campeonato brasileiro de poesia falada) e tem um projeto permanente (ZAP! Zona Autônoma da Palavra).

O Núcleo pesquisa e desenvolve a linguagem, o diálogo entre a cultura hip-hop, com a contundência da autorrepresentação como discurso artístico, e o teatro épico e seus recursos: o caráter narrativo, apoiado por uma dramaturgia que se configura depoimento do processo histórico; como instrumento que elucida uma concepção do mundo, e coloca o ator-narrador em face de si mesmo como objeto de pesquisa; como ser mutável; em processo, fruto do raciocínio, da reflexão.

 

Serviço

Núcleo Bartolomeu de Depoimentos 20 anos

De Maio de 2021 a Março de 2022

Programação completa em: https://linktr.ee/nucleobartolomeu

 

Programação das Oficinas:

inscrições em: https://linktr.ee/oficinasbartolomeu

 

MÓDULO I - Oficina Corpo Poético – com Luaa Gabanini: Uma vivência do corpo como matéria cênico-poética, utilizando como base os princípios do movimento cotidiano, explorando as possibilidades de expressão do corpo.

Meu corpo e eu: Reconhecendo e despertando potencialidades.

Meu corpo e o outro: Dançando e criando a partir do encontro.

Data: 24 e 25/06/2021 [quinta e sexta-feira]

Horário: 14h às 16h, na Plataforma Zoom

 

MÓDULO II - Oficina Disco Aula – com Eugênio Lima: Uma história da Discotecagem-Música, Beats, Festas e Política. Este curso enveredará pela história da discotecagem, mixando assuntos para criar um mosaico sonoro. Música, vinil, técnicas de discotecagem somam-se aos diversos acontecimentos (sociais, culturais, políticos) na linha imaginária do tempo que “nos toca viver”. Disco é cultura. Cultura é arte. Mani-festa-ação, Zona Autônoma, Tecido de renda fina, mas sobretudo: música.

Data: 01 e 02/7/2021 [quinta e sexta-feira]

Horário: 14h às 16h, na Plataforma Zoom

 

MÓDULO III - Oficina Zona Autônoma da Palavra – com Roberta Estrela D’Alva: Algumas vertentes da poesia falada contemporânea serão apresentadas ao público, bem como serão realizados alguns exercícios práticos a partir dos seguintes aspectos: voz, respiração, dicção, a relação do texto escrito com a fala, a postura cênica do corpo. Afinando o instrumento: apresentação do tema (vertentes da poesia falada hoje slam, spoken word e rap), produção de textos e exercícios práticos de voz, respiração e corpo. Da letra à voz: declamando, interpretando e cantando a poesia.

Data: 08 e 09/7/2021 [quinta e sexta-feira]

Horário: 14h às 16h, na Plataforma Zoom

 

MÓDULO IV - Oficina Criação Dramatúrgica– com Claudia Schapira: A oficina propõe  referenciar alguns procedimentos da criação textual, tendo como ponto de partida o depoimento pessoal e outros elementos narrativos da linguagem teatro hip-hop.

Data: 15 e 16/07/2021 [quinta e sexta-feira]

Horário: 14h às 16h, na Plataforma Zoom

 

O Núcleo Bartolomeu de Depoimentos

O Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, formado por Claudia Schapira, Eugênio Lima, Luaa Gabanini e Roberta Estrela D’Alva, nasceu no ano de 2000 e tem como pesquisa de linguagem o diálogo entre a cultura hip-hop, com a contundência da autorrepresentação como discurso artístico, e o teatro épico e seus recursos: o caráter narrativo, apoiado por uma dramaturgia que se configura depoimento do processo histórico; como instrumento que elucida uma concepção do mundo, e coloca o ator-narrador em face de si mesmo como objeto de pesquisa; como homem mutável; em processo, fruto do raciocínio, da reflexão.

Em 2000, estreou Bartolomeu, O Que Será que Nele Deu, o primeiro espetáculo do Núcleo, dirigido por Georgette Fadel e inspirado no romance de Herman Melville “Bartleby, O Escriturário”. Acordei Que Sonhava, uma livre adaptação de “A Vida É Sonho”, de Calderón de la Barca, foi o segundo espetáculo da companhia, estreado em 2002, dirigido por Claudia Schapira.

Entre os anos de 2002 e 2003, o Núcleo desenvolveu o projeto Urgência nas Ruas – obras-manifesto, intervenções pelas ruas de São Paulo. Esse projeto foi o primeiro a ser contemplado pela Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Em 2006 estreia Frátria Amada Brasil – Pequeno Compêndio de Lendas Urbanas, espetáculo inspirado na Odisseia de Homero.

Em 2008 o projeto 5 x 4 – Particularidades Coletivas, gerou cinco espetáculos: Encontros Notáveis, 3×3 – Três DJs em busca do vinil perdido, Manifesto de Passagem – 12 Passos em Direção à Luz, Vai te Catar! e Cindi Hip-Hop – Pequena Ópera Rap.

Em 2009, o Núcleo iniciou o projeto Pajelança de Kuarup no Congá, que depois de quase três anos de intensa pesquisa resulta no espetáculo Orfeu Mestiço, uma Hip-Hópera Brasileira.

Em 2013, estreou Antígona Recortada e em 2014, BadeRna, último espetáculo realizado na sede do grupo, que foi demolida pela Ink Incorporadora e todos seus associados.

Em 2015, no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, realizou a Ocupação Arena Urbana – De onde viemos, para onde voltamos, que contou com a temporada de três obras inéditas: Memórias Impressas, Olhos Serrados e 1, 2, 3 – Quando acaba começa tudo outra vez, marcando a incursão do grupo no universo do teatro infantil.

Em maio de 2016, estreou Cassandra – Na calada da voz, uma performance teatral, trazendo à luz a violência infringida através dos tempos ao discurso feminino.

Além dos espetáculos, o Núcleo criou vários projetos, em 2008, ZAP! Zona Autônoma da Palavra, o primeiro poetry slam (campeonato de poesia) brasileiro, que deu origem ao SLAM SP e ao SLAM BR e em 2009, DCC – Dramaturgia Concisa e Contemporânea, um espaço dedicado à criação e debate sobre produção de textos cênicos curtos e inéditos.

 

Informações para a imprensa:
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques - marcia@canalaberto.com.br - 11 99126 0425
Carol Zeferino - carol@canalaberto.com.br - 11 99425 1328
Daniele Valério - daniele@canalaberto.com.br - 11 98435 6614

Compartilhar :