descricao

Web Peça

Penélope

 

Uma vídeo chamada? Um chat virtual? Uma live em redes sociais? Seja bem-vindo e traga seu drink.

 

Com dramaturgia de Lígia Souza e direção de Nadja Naira, os atores Uyara Torrente e Pablito Kucarz se encontram e encontram com o público. Em Penélope, experimento de cena criado em isolamento social e pensado para ambiente virtual, uma história será contada e o privado tornado público.

A web peça acontece no Instagram do espetáculo, dias 28 e 29 de novembro (sábado e domingo), às 20h, com ingressos Pague Quanto Puder, pelo Sympla.

 

“Penélope inspira, respira, transpira. Mas como é longo o caminho e incerto o destino. Desta vez, ela não espera pelo retorno de Ulisses, como condenou Homero. Essa mulher foi à luta, mesmo fraturando sentimentos. Ela não é vítima. É senhora de si. Os riscos são enormes. Mas o benefício é estar viva e bulindo.”
Ivana
Moura para o blog Satisfeita, Yolanda?

 

“Ausências, partidas e expectativas. Penélope carrega esses temas nas suas diversas camadas. O que se espera dela é que ela espere. Que fique, que cuide. Desde o início fica evidente na interpretação de Torrente a diferença entre aceitar e querer sim. Ele, nesse sentido, é também um homem que foge ao padrão; No trabalho de Kucarz, o que emerge é o ressentimento, que não raro destila misoginia em sutilezas.”
Amilton
de Azevedo para o site Ruína Acesa

 

Sinopse

Como perceber que de repente, o destino de duas pessoas que se encontram, o destino, o futuro, o próximo segundo, ou mesmo o passado, será modificado a partir do que iremos fazer agora. Como saber o poder desse momento? Ou de qualquer outro momento da nossa vida?

Na história de origem, Penélope fica 20 anos esperando que Ulisses retorne da Guerra de Tróia. Essa atitude, esse hábito da espera, parece ter perseguido as mulheres por muitos anos. Na releitura escrita por Lígia Souza e dirigida por Nadja Naira, a personagem feminina vai em busca das experiências que nunca lhe foram permitidas. Uma volta ao mundo. Mas, antes de tudo, o que ela busca é a liberdade de escolher genuinamente o que quer pra sua vida. Ficar ou partir nunca mais serão estigmas, heranças de gênero.

Dois irmãos se encontram depois de muitos anos sem contato. O que essa escolha vai gerar? Eles possuem um passado em comum, algumas lembranças que surgem de um passado compartilhado. Eu conheço você! Mas, ao mesmo tempo, o luto, a distância e o silêncio mantido por anos faz surgir uma culpa e um ódio pela ausência. Quais são as ficções possíveis de quem fica e de quem parte?

 
A equipe

Lígia Souza é dramaturga, roteirista e pesquisadora. Professora de dramaturgia na Fundação das Artes de São Caetano do Sul e coordenadora do Núcleo de Dramaturgia do SESI PR. Responsável pela la lettre espaço de criação.

Nadja Naira trabalha há mais de 25 anos em teatro, como iluminadora, diretora e atriz. Mora em Curitiba, mas mantém parcerias artísticas em todo o país. Integra a companhia brasileira de teatro desde 2002.

Pablito Kucarz, ator e produtor, integra o teatro de breque e a Súbita companhia. Circula pelo teatro, cinema e televisão.

Uyara Torrente, atriz e cantora é vocalista da Banda Mais Bonita da Cidade e mantém fortes vínculos com o teatro e o cinema.

 

Ficha Técnica

Texto: Lígia Souza
Direção: Nadja Naira
Atores: Pablito Kucarz e Uyara Torrente
Colaboração: Paulo Rosa e Álvaro Antonio
Produção: Lívia Milhomem
Realização: La Lettre

 

Serviço
Penélope

Dias: 28 e 29 de novembro de 2020, às 20h.

Ingressos pelo Sympla (https://www.sympla.com.br/penelope__1049113)
Pague quanto puder (R$ 15 a R$ 100)
Duração: 45 min | Capacidade: 40 pessoas
Instagram: @_la.lettre_

*Após o espetáculo o público pode participar de um bate-papo com os atores.

 

Informações para a imprensa:
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques | Daniele Valério
marcia@canalaberto.com.br |
daniele@canalaberto.com.br
Fones: 11 2914 0770
Celulares: 11 9 9126 0425 (Márcia) | 11 9 8435 6614 (Daniele)

Compartilhar :